Os 10 anos da Lei Maria da Penha devem ser comemorados reforçando as ações em defesa da mulher e proteção contra a violência. Respeito e dignidade para todas.

Cumprimos a promessa e aprovamos o PLC 38 que iguala a remuneração de bombeiros e militares do ex-território de RR com o Governo do DF. Uma grande conquista

Tv Rádio Jornais
Pronunciamentos Matérias Relatadas Projetos Currículo
Notícia
Aumentar tamanho fonte Diminuir tamanho da fonte
21/06/2018

Temer destina recursos para saúde e para acolhimento em Roraima

Foto: Guilherme Moraes
Temer destina recursos para saúde e para acolhimento em Roraima

Na visita ao estado, o presidente autorizou a construção do Centro de Radioterapia para atender pacientes com câncer em Roraima

 

A visita do presidente Michel Temer à capital de Roraima teve um outro objetivo além de verificar o andamento das ações da operação de acolhimento aos imigrantes venezuelanos.

 

Acompanhado por parte de sua equipe ministerial, do senador Romero Jucá (MDB), e de autoridades locais, o presidente anunciou a instalação de uma unidade de radioterapia no estado e assinou a lei que reconhece a situação de emergência social causada pela imigração.

 

Temer também destinou R$ 190 milhões para a manutenção das ações de acolhimento feitas pelo Exército Brasileiro. O presidente conversou ainda com a prefeita de Boa Vista Teresa Surita que apresentou os dados do mapeamento do Mutirão de Escuta Assistida e Sistematizada que identificou 25 mil venezuelanos vivendo na capital. Esse número corresponde a 7,5% da população de Boa Vista.

 

Segundo o presidente, os recursos para o Centro de Radioterapia devem ser liberados de maneira imediata para que a unidade entre em funcionamento a partir de 2019. A oferta do serviço em Roraima vai ajudar na melhoraria do atendimento aos pacientes em tratamento do câncer. Hoje, quem necessita desse serviço precisa solicitar o Tratamento Fora de Domicílio (TFD).

 

“Venho acompanhar as ações que estamos desenvolvendo todas no sentido humanitário, de acolher aqueles que não tem opção de vida na Venezuela. Mas, também vamos prestigiar os habitantes de Roraima e assinar a instalação do centro de radioterapia que será uma unidade moderna, que deve estar pronta para receber os pacientes daqui a um ano”, disse o presidente.

 

Para o senador Romero Jucá, a instalação do Centro trará uma condição melhor ao tratamento do pacientes com câncer. 

 

"O presidente assinou a medida que destina R$ 190 milhões para o Exército dar continuidade a Operação Acolhimento e para a saúde, serão R$ 10 milhões alicados na construção de um anexo no Hospital Geral de Roraima, executados direto pelo Ministério da Saúde, fazendo com que nós tenhamos a radioterapia aqui mesmo em Roraima", disse. 

 

Cobrança para interiorização

 

Na reunião com o presidente, a prefeita de Boa Vista Teresa Surita reforçou a cobrança para efetivar as ações de interiorização. Ela também apresentou uma proposta para que esse trabalho seja conduzido pelo Exército, responsável por receber os imigrantes também nos outros estados.

 

“Eu tive a oportunidade de falar com o presidente e sua equipe à respeito do mapeamento que fizemos em Boa Vista, o número de pessoas que vivem aqui, que chegam além da previsão do que pode acontecer até janeiro do ano que vem, se não tomar a providência de tirar pelo menos, 500 pessoas por mês da cidade”, disse a prefeita.

 

Segundo o levantamento, entram por mês 12 mil pessoas, 2.700 ficam em Boa Vista e 500 ficam desabrigadas. Nessa projeção, segundo a Prefeitura, seria necessário construir um novo abrigo a cada mês.

 

Na avaliação do senador houve avanços no trabalho de acolhimento aos imigrantes, mas a interiorização precisa ser intensificada. 

 

"Foi uma visita importante, o presidente viu aqui o resultado da Operação Acolhida e nós avançamos. Hoje, existem oito abrigos e mais dois estão em construção. O desafio agora é fazer a interiorização, e esse é um projeto que o Governo Federal vai cuidar. A prefeita Teresa fez a sugestão junto ao  Exército de federalizar essa ação, para que o exército possa operacionalizar essa chegada dos venezuelanos também nos outros estados, porque eles têm uma estrutura e a condição de organização desse trabalho", afirmou o senador. 

Enviar comentário:



acompanhe o senador